Crenças que Prendem

Crenças que prendem… antes de falar das crenças que nos prendem a conceitos e a préconceitos, importa perceber o que são crenças e como é que se formam.

Ao falar em crenças, não estou falando daquele tipo de crenças do tipo “vou ganhar na lotaria”, ou “vou ter a minha casa dos sonhos”, isso são coisas que podes acreditar, mas ao mesmo tempo podes duvidar.

As crenças de que falo, são as crenças que formam a personalidade, os valores, que estão enraizados e que definem que és hoje.

São estas crenças que podem ser limitantes ou potencializadoras, podem levar-te a ter resultados muito bons, ou a não conseguir obtê-los, podem ajudar-te a ter uma gravidez, um parto e um pós parto positivo, ou a que não seja tão positivo assim – e é assim em qualquer área da tua vida.

Então, como se formam as Crenças

Quando nascemos, para além da memória genética – na visão de Freud, na teoria  da personalidade, referencia o id como a parte herdada da personalidade –  somos um “vazio”. Somos como uma esponja pronta a absorver conhecimento.

Pelos cinco sentido fazemos as nossas aquisições, as nossas aprendizagens através dos vários agentes (rede social) e vamos registando, gravando, memorizando, e formando os traços de personalidade através desses modelos.

As primeiras aprendizagens, como refere Bandura, são feitas por observação e repetição, tendo por modelo os pais (ou os seus substitutos) e os familiares mais próximos, depois os amigos da família e os amiguinhos que se vão conhecendo, a escola e todos os que vão surgindo ao longo da vida como a integração em grupos de interesse e mercado de trabalho.

É até por volta dos 7 anos, que nós, enquanto crianças sem filtros formamos a maior parte das nossas crenças, embora dos 7 aos 14 comecemos a filtrá-las e a dar-lhes novos significados de acordo com os ambientes sociais nos quais estamos inseridos.

Durante toda a vida formamos novas crenças e reformulamos antigas, porém, quase sempre com base nas crenças adquiridas na infância e adolescência – excetuam-se as alterações profundas por eventos traumáticos ou extraordinários.

Criamos crenças sobre o “eu”, sobre família, educação, relações, religião, o bem, o mal, etc., etc..

Criamos crenças sobre tudo através dos exemplos expressos no nosso ambiente social, físico e virtual, e que ditam de facto quem eu sou, como sou, e em última análise quem e como vou ser. No fundo, somos produto das experiências que vivemos.

O Potencial das Crenças

As crenças têm um potencial extraordinário. Podem ser potencializadoras ou limitantes.

  • Crenças limitantes ☻ estão diretamente relacionadas com toda a descriminação negativa experienciada, e que te impedem de testar algo novo, algo diferente, outros caminhos, que te fazem duvidar das tuas capacidades e das potencialidades de tudo o que está para além das tuas convicções;
  • Crenças potencializadoras ☺ estão diretamente relacionadas com os incentivos positivos de que foste alvo e que te abrem portas para a novas conquista e a novos horizontes.   

Arriscar-me-ia a dizer que a crença mais limitante é o etnocentrismo – crença de que só os meus valores e crenças é que estão certas – isso impõe-me limites e mantem-me afastada de um mundo de possibilidades.

Um Exemplo

O exemplo mais inquietante no caso das gestantes, são as meninas que crescem com as histórias de que a mulher sofre todo o tipo mal-estar na gravidez, quase morre no parto, e que depois quase tudo é cansaço e depressão, e que durante a gestação reforçam essas crenças com novas histórias de quem diz ter passado muito mal, e ainda passa montes de tempo a ver posts em redes sociais que em nada contribuem para uma efetiva preparação psicofisiológica, antes pelo contrário, criam mais expectativas negativas, ansiedade e medos.

Quando te permites, a lua é o limite, porque a única pessoa que pode impor-te limites és tu!

Um abraço no coração ♥

Fique Ligada!

SEJA A PRIMEIRA A RECEBER TODAS AS NOVIDADES

Gostou? Então partilhe >

Explore Mais:

MSE
mentalzcoach

Uma Conversa Algo Polémica sobre Gravidez

O que lhe vou dizer agora, pode parecer-lhe um pouco polémico, mas infelizmente é a realidade. É verdade que há mulheres que, devido a problemas

MSE
mentalzcoach

Respire

Sempre estamos em stress e ouvimos alguém dizer “respire”, entramos em ebulição com pensamentos do tipo, “este é daqueles que acham que a respiração resolve

VAI SER MAMÁ? 

PARABÉNS! DESCUBRA NESTE

E-BOOK O INÍCIO DE UMA JORNADA

DE DOAÇÃO E AMOR INCRÍVEL!

NÃO VÁ EMBORA, TEMOS UMA

OFERTA

GRÁTIS

PARA SI!